GODMODE 289 - DROPS GODMODE 288 - E3 2017 OFFMODE 52 GODMODE 287 - DROPS GODMODE 286 - MÃE DINAH

domingo, 28 de novembro de 2010

Godmode gang no BGS 2010


A Brasil Game Show rolou nos dias 20 e 21 de Novembro. A galera do Godmode esteve presente como imprensa. Foram alguns meses de antecipação e uma divulgação fortíssima do evento. Coisa que quase não teve no ano passado, quando a feira ainda se chamava Rio Game Show e ocupava apenas um terço do espaço do Centro de Convenções Sul América. E como propaganda é a alma do negócio, este ano nós sentimos a diferença gritante.

No sábado, demos mole e chegamos lá já um pouco depois de ter aberto para o público, às 11 da manhã (para imprensa a entrada estava liberada desde 9 horas). Então o caos já estava instalado. Uma fila quilométrica dava volta no quarteirão, e era formada pelas pessoas que ainda iam comprar o ingresso. Acho que nem os organizadores da BGS esperavam tanta gente. Isso só mostrava logo de cara que o público gamer brasileiro é grande e esse tipo de evento só tende a crescer.

Confesso nunca ter tido um prazer tão grande em passar a frente de um fila dessas. Claro, seria divertido conhecer os nerds e bater um papo com a galera antes de entrar, mas o solão daqui do Rio de quase meio-dia iria estragar a experiência.

Gabriel, Chuvisco e Cláudio devidamente credenciados (ou quase, Gabriel roubou o nome do Pita, que não foi)

Já lá dentro, de posse das credenciais de imprensa e das pulserinhas que dão coceira, passamos por um apertado túnel inflável que tinha em exposição a coleção do maior colecionador de consoles do Brasil, Marcelo Tavares.

Estande da Sony (foto tirada no domingo antes de abrir para o público)

Depois disso, entramos de fato na área do evento, dando de cara um baita estande da Sony, onde o destaque eram os jogos em 3D nos novos televisores da Sony. Jogar Motorstorm em 3D era como jogar com carros em miniatura. O efeito era bem legal, mas se perdia se você inclinasse a cabeça para os lados. Faltou um grande representante da novidade como o Killzone 3 ou até mesmo o novo Call of Duty: Black Ops, que não é um exclusivo, mas vem com a opção do 3D incluso. Presente no estande também estava o Gran Turismo 5, finalmente sendo lançado depois de toda aquela novela. O Playstation Move também marcou presença, incluindo o jogo Fight: Lights Out.

Booth babes da Seven

Do outro lado da rua principal, outro mega-estande, de mais uma das patrocinadoras do evento, a escola de computação gráfica Seven. As atrações eram variadas, pra não falar, meio genéricas e às vezes sem a ver com o tema, como o maior autorama do país (?????). Também tinha um carro de Nascar que servia apenas de cenário para tirar fotos das booth babes, escultores e esculturas de qualidade duvidosa, arcades como Dance Dance Revolution, entre outros. O maior destaque era o ÚNICO Kinect do evento, com uma fila enormes de pessoas para jogar o Kinect Adventures, no segundo maior momento vergonha alheia do evento, perdendo apenas para o Michael Jackson de Jaconé, no estande da Ubisoft.

Estande da Warner (foto tirada no domingo antes de abrir para o público)

Entre filas enormes, foi até uma surpresa quando eu e o Chuvisco conseguimos botar nossas mãos no novo Mortal Kombat, no estande da Warner. O jogo esta muito bonito e bem feito. A jogabilidade ainda não é de um Super Street Fighter da vida, mas se manteve fiel a sua proposta. A violência esta toda lá de volta e até fatalities saíram sem querer. Poucos personagens estavam selecionáveis, o restante que estavam trancados ainda eram um mistério, mas formavam um graaaaande número, o suficiente para juntar o elenco dos três primeiros jogos.


Visitamos também o estande da loja Shock Games, do nosso amigo Fred, que deu a sorte de ser a única loja vendendo títulos de PS3, Wii e Xbox, fora alguns acessórios (eu mesmo comprei o Navigational Controller do PS Move). Segundo ele, os jogos venderam que nem água no deserto. Incluindo novidades como o Need for Speed: Hot Persuit.

A Conexão Cultural, produtora que trouxe o Videogames Live pro Brasil, também marcou presença e eu fiz uma entrevista rápida com o meu amigo Erick que falou do novo projeto Game Music Brasil, festival que vai reunir bandas nacionais tocando música de games. Vídeo abaixo (áudio de meeeeeeerda)...


Muitas fotos das booth babes, é claro. A maioria fazendo carinha de chateação. Fiquei mais feliz em tirar foto com as cosplayers, que embora seja uma vergonha alheia do cacete, estavam ali porque queriam, sempre sorridentes e dispostas, ansiosas por levar um PS3 pra casa ganhando no concurso Gata Gamer.

Paulo e as cosplayers

And that's all folks! No ano que vem tem mais. Esperamos estar lá mais profissionais do que agora. Vai depender do quando o blog e o podcast crescer... OUVIRAM??? Bem, no próximo episódio do podcast a gente fala mais um pouco do evento e posta o restante das fotos e vídeos.

Próximo passo, E3!
T+

Um comentário:

Eduardo Derbli disse...

Erick tá com a maior cara de viado nesse vídeo.

Maneira a cobertura, cara, parabéns!